sábado, setembro 29, 2007

Paula Rego

Foi inaugurada a 25 de Setembro de 2007, no Museu Nacional Rainha Sofia, em Madrid, uma exposição de Paula Rego em que a pintora apresenta cerca de duas centenas de pinturas, desenhos e gravuras.

A exposição estará patente até ao dia 30 de Dezembro. É a maior e mais completa exposição retrospectiva da obra de Paula Rego.


Da exposição fazem parte 80 pinturas incluindo os monumentais quadros pintados a pastel, o material preferido da pintora desde 1994, 60 desenhos e 60 gravuras e litografias.

Aclamada como uma das maiores pintoras a nível mundial, as obras da pintora portuguesa Paula Rego, são expostas em Madrid por indisponibilidade de espaço, no nosso país.

Para pensar…




Paula Rego nasceu em Lisboa em 1935 e formou-se na Slade School of Fine Art, em Londres, onde fixou residência há longos anos.

quinta-feira, setembro 27, 2007

Myanmar – Birmânia, a Justiça é um Sonho… Adiado

De um lado, o exército, os senhores da guerra, os barões da droga, que controlam as rotas do ópio, do outro, está a população indefesa e os monges budistas, apelando á não violência…


Décadas de fome, tortura, violência e o aumento do preço dos combustíveis levaram a população para a rua…

Entretanto, pasme-se, os EUA, apelaram à China para intervir!?

E a população permanece impotente face a um dos regimes mais cruéis do planeta, perante a indiferença de todos nós…



Estranhos negócios envolvendo papoilas fazem com que o regime se perpetue indefinidamente…

É que ali não há petróleo…

Texto – Mário Nunes

Fotos – Reuters

segunda-feira, setembro 24, 2007

A Face Oculta do Petróleo, Éric Laurent

Os segredos do Ouro Negro

Pela primeira vez este livro revela o que foi escondido da opinião pública: porque motivo o famoso choque petrolífero de 1973 não passou de uma manipulação, o resultado de uma combinação entre os países da OPEP e as grandes companhias petrolíferas.


Na Arábia Saudita e na Rússia, os montantes exactos são mesmo segredo de Estado. Como Washington utilizou a arma do petróleo saudita para provocar o desmoronamento da União Soviética. Porque motivo desde Março de 2001, seis meses antes do 11 de Setembro, os mapas do Iraque onde estavam assinaladas as futuras explorações petrolíferas serviram de documentos de trabalho ao vice-presidente Cheney e aos responsáveis petrolíferos, no seio do grupo, denominado «Sociedade Secreta».


A Face Oculta do Petróleo é o resultado de uma longa investigação conduzida por Éric Laurent, na China, na Ásia Central, na zona do Mar Cáspio e no Golfo Pérsico.


De hoje em diante, por seis barris consumidos cada dia, apenas um é extraído e encontramos-nos à beira de um choque petrolífero sem precedentes.

http://www.eric-laurent.com


Éric Laurent, Jornalista e escritor, especialista em política internacional, Éric Laurent faz revelações surpreendentes neste livro. Tendo feito a cobertura de conflitos como a ocupação do Afeganistão e a guerra Israel-Árabe, dedicou-se a uma investigação que o levou das poderosas companhias petrolíferas americanas ao Golfo Pérsico, China, Ásia Central.

http://www.eric-laurent.com/article-2486291.html


Manipulação, poder, mentira.


Eis um livro que nos coloca face à crueza das decisões políticas. Jornalista e investigador, tendo passado pela Radio France, onde fez reportagem de guerra, e pela Figaro Magazine, Éric Laurent editou já livros como «Guerra do Golfo», «Tempestade do Deserto», «A Guerra dos Bush», «O Mundo Secreto de Bush», «A Face Oculta do 11 de Setembro». Em «A Face Oculta do Petróleo» procurou a verdade sobre o poder das companhias petrolíferas e os países produtores que podem decidir o destino de outros países...e do próprio mundo.



Apontado, por exemplo, o choque petrolífero de 1973 como um bluff que visava apenas aumentar o preço do petróleo, os benefícios e isenção fiscais das grandes companhias petrolíferas norte-americanas e a forma como os EUA pressionaram o aumento da produção petrolífera da Arábia Saudita de forma a precipitar o desmoronar da União Soviética. Casos vários que completa com a revelação dos negros segredos por detrás da Guerra do Iraque. Segundo as suas investigações, George W. Bush estava bem consciente do declínio da produção saudita pelo que era urgente encontrar outras fontes de petróleo. Afirma mesmo que em 2001, antes do 11 de Setembro, o vice-presidente Cheney organizou uma comissão secreta para analisar questão da energia e que entre os seus documentos de estudo constava já um mapa do Iraque com a indicação de futuros poços de petróleo. Planeavam então a guerra antes mesmo do atentado às torres gémeas? A guerra do Iraque foi uma guerra anti-terrorista ou uma guerra imperialista?

O livro custa 19,95 € e foi lançado pelo Círculo de Leitores e lê-se num ápice…

Tendo dedicado anos de pesquisa a este tema, Éric Laurent revela os meandros do poder político e económico. À beira de um real choque petrolífero que pode implicar uma completa alteração do nosso modo de vida e das economias mundiais, aponta também outros caminhos. O aproveitamento da energia solar, eólica e a partir do hidrogénio, poderiam liberta-nos da dependência do ouro negro. Um ouro que tanta riqueza e guerras gerou...



«A Face Oculta do Petróleo» é por isso um livro de imprescindível leitura para todos os que queiram perceber os meandros do poder em pleno século XXI e o que se esconde por detrás das câmaras, da imagem, dos media, e da constante manipulação da informação que chega ao cidadão comum.


sábado, setembro 22, 2007

The Doors, Riders on the Storm


I see myself as a huge fiery comet, a shooting star. Everyone stops, points up and gasps "Oh look at that!" Then- whoosh, and I'm gone...and they'll never see anything like it ever again...and they won't be able to forget me- ever." -- Jim Morrison

Simplesmente Fabuloso...

The Doors, de Oliver Stone



Riders on the Storm

Riders on the storm

Riders on the storm

Into this house we're born

Into this world we're thrown

Like a dog without a bone

An actor out alone

Riders on the storm



There's a killer on the road

His brain is squirmin' like a toad

Take a long holiday

Let your children play

If ya give this man a ride

Sweet memory will die

Killer on the road, yeah



Girl ya gotta love your man

Girl ya gotta love your man

Take him by the hand

Make him understand

The world on you depends

Our life will never end

Gotta love your man, yeah



Wow!

Riders on the storm

Riders on the storm

Into this house we're born

Into this world we're thrown

Like a dog without a bone

An actor out alone

Riders on the storm



Riders on the storm

Riders on the storm

Riders on the storm

Riders on the storm

Riders on the storm




Esta foi a última canção gravada por Jim Morrison. Ele foi para França e morreu poucas semanas depois. O single saiu em Junho de 1971, pouco depois da morte de Morrison.

http://kafekultura.blogspot.com/2007/01/doors-o-rei-lagarto-e-os-cavaleiros-da.html

quinta-feira, setembro 20, 2007

Coimbra Antiga (8)






Coimbra, a Lusa Atenas...
Fotografada por inúmeros fotógrafos, ao longo se um século e meio de fotografia.



Balada da Despedida, Lacrima, Serenata Monumental, Queima das Fitas...
Verdadeiramente Inesquecível!

quarta-feira, setembro 19, 2007

Dalai Lama, O Mensageiro da Paz

O último dia do líder tibetano em Lisboa foi «especial», como confessaria o próprio perante as cerca de dez mil pessoas que pagaram bilhete para o ouvir no Pavilhão Atlântico, esta tarde. Especial por estar ali, perante tanto público, mas também porque de manhã tinha participado num encontro inter-religioso que o tocou particularmente. «Foi a primeira vez que me juntei a irmãos de outras tradições religiosas numa mesquita», revelou satisfeito, no final da sua intervenção na mesquita de Lisboa.


Representantes da comunidade islâmica, hindu, judaica, cristã e baha’i juntaram-se ao ex-presidente Mário Soares, que ali discursou na qualidade de presidente da Comissão de Liberdade Religiosa, para saudar o empenho do Dalai Lama na promoção da paz mundial e do diálogo entre diferentes religiões. Simbolicamente, foram libertadas sete pombas e dezenas de balões brancos, com os símbolos dos diferentes credos e a mensagem «Promovendo juntos a Paz universal e a Harmonia através do diálogo inter-religioso».

O Dalai Lama entrou no templo muçulmano ladeado pelo imã da mesquita, xeque David Munir, e pelo líder da comunidade islâmica de Lisboa, Abdul Vakil, e fez questão de se sentar no chão, virado para Meca, para uns breves momentos de meditação. Em seguida, recebeu com agrado um exemplar do Corão.



Logo depois, veria a seus pés um católico emocionado. Paulo Lobão veio de propósito da ilha Terceira para lhe oferecer uma coroa do Espírito Santo em prata. Quando o Dalai Lama aceitou o seu presente e lhe estendeu a mão, o açoriano não conteve a emoção e chorou convulsivamente.



Talvez com esta imagem ainda em mente, começaria por lembrar à multidão que enchia o Pavilhão Atlântico que não era santo nem tinha poderes mágicos. «Muitos de vós devem ter vindo aqui com uma grande expectativa e isso terá sido um erro. Sou apenas um homem comum, um ser humano como vocês, e na verdade não vou dizer-vos nada de especial. Apenas coisas do senso comum...»



Divertido, contou um episódio da sua última visita aos Estados Unidos. «Há quem pense até que tenho poderes para curar as pessoas! Eu sou um céptico, não acredito [em milagres]. Mas houve um homem que, ao cumprimentar-me, me apertou tanto a mão, achando que o poderia ajudar, que fiquei com meu dedo mindinho muito magoado. Eu é que fiquei a precisar que alguém me curasse!»



Esclarecido o público, falaria durante duas horas e meia sobre «o poder do bom coração» - ou seja, como a compaixão, o respeito e o amor pelos outros podem começar por mudar-nos interiormente, trazendo mais felicidade às nossas vidas, mas também como a prática desses valores podem ajudar a mudar o mundo, trazendo paz onde há conflito. «Temos de interiorizar que todos nós, os 6 mil milhões de habitantes deste planeta, dependemos uns dos outros. O planeta é só um, a nossa única morada. Quando alguém destrói uma floresta, afecta-nos a todos.»



Também a paz mundial só será possível com o contributo de cada um, lembra. «A paz não vai cair do céu! Todos temos de fazer um esforço e devemos lutar pelo desarmamento do nosso planeta mas começar por fazer um desarmamento interior, reduzindo dentro de nós sentimentos negativos como o ódio e a raiva.»

Muito aplaudido a cada intervenção, o Dalai Lama aceitou, no final, responder a algumas perguntas do público. Questionado sobre o que poderiam os cidadãos portugueses fazer para ajudar a causa tibetana deixou a sugestão: «Podem contactar os grupos de apoio que existem em Portugal ou escrever aos deputados do vosso parlamento e do parlamento europeu. Também seria boa ideia viajarem até ao Tibete. Estudem o que se passou nos últimos 60 anos e o que se passa ali agora, vejam se corresponde à verdade a bonita imagem que a China tenta vender. E depois contem ao mundo o que viram.»


Potala, Tibete


A lembrança das dificuldades por que passam os seis milhões de tibetanos que vivem no chamado «Tecto do Mundo», a que não pode regressar desde 1959, foi um dos poucos momentos em que o seu semblante ficou carregado. Mas, logo depois, soltaria uma das suas típicas gargalhadas, quando lhe perguntaram o que mais recordaria destes seus cinco dias em Lisboa: «O calor!» O público, que se abanava há mais de duas horas com tudo o que havia à mão, concordou e riu com ele.

In Visão

terça-feira, setembro 18, 2007

رسومات... - Desenhos…

O primeiro-ministro sueco, Fredrik Reinfeldt, defendeu liberdade de expressão a propósito de caricatura de Maomé e lamentou hoje que vários países e associações muçulmanas se tenham sentido ofendidos com a recente publicação de uma caricatura do profeta Maomé num jornal local, sublinhando que a liberdade de expressão é um direito “inalienável” no país.

“Lamento que as pessoas tenham entendido mal ou se tenham sentido ofendidas. Pessoalmente, não agiria intencionalmente de forma a ser entendido pelas outras religiões como provocatório ou insultante”, afirmou Reinfeldt, num comunicado enviado aos dirigentes das associações muçulmanas do país.


Nas últimas semanas, o Egipto, Irão, Paquistão Jordânia e a Organização da Conferência Islâmica, bem como vários responsáveis religiosos afegãos, condenaram a divulgação da nova imagem e exigiram um pedido de desculpas do Governo sueco.


O ano passado a polémica foi com os dinamarqueses!



O tribunal de Paris acaba de ilibar (22 de Março) Philippe Val, director do semanário satírico «Charlie Hebdo», acusado de ter publicado caricaturas de Maomé consideradas ofensivas pelos muçulmanos, designadamente, acusado de “injúria pública dirigida a um grupo de pessoas por causa a sua pertença religiosa”.

A Grande Mesquita de Paris, a União das Organizações Islâmicas de França, membros do Conselho Francês do Culto Muçulmano, e a Liga Islâmica Mundial, que se lhes veio a juntar, punham em causa a publicação pelo semanário «Charlie Hebdo», em Fevereiro de 2006, de três desenhos considerados ofensivos, concretamente, a capa de um número especial da revista onde se re-publicaram desenhos anteriormente publicados pelo jornal dinamarquês «Jyllands-Posten» e duas das caricaturas apresentadas nesse jornal:




Al-Qaeda institui recompensa para assassínio de autor de caricaturas de Mahomé

O líder do "Estado Islâmico do Iraque" , que se afirma como o ramo iraquiano da Al-Qaida, lançou na Internet um apelo para assassínio do autor de uma caricatura de Mahomé publicada num jornal sueco.

"Exortamos à liquidação do autor da caricatura, Lars Vilks, por ter ofendido o nosso profeta e anunciamos uma recompensa de 100.000 dólares para quem matar este criminoso infiel", declarou o xeque Abu Omar Al-Baghdadi em mensagem posta hoje em linha em vários sítios islamistas na Internet.

"Este recompensa será aumentada para 150.000 dólares se ele fôr degolado, e anunciamos uma recompensa de 50.000 dólares para quem matar o chefe de Redacção do jornal que publicou a caricatura", acrescenta a mensagem, cuja autenticidade não foi confirmada.

Abu Omar al-Baghdadi exige desculpas aos "cruzados" na Suécia, sob pena de atacar grandes empresas naquele país, como a Ericsson, Scania, Volvo, IKEA, Electrolux.

"Reservamo-nos o direito de punir o autor deste crime. Sabemos como vos obrigar a pedir desculpas, nomeadamente atacando a economia dos vossos gigantes empresariais como a Ericsson, Scania, Volvo, IKEA e Electrolux ", ameaçou o líder da guerrilha iraquiana.

A publicação em 18 de Agosto no Nerikes Allehanda, jornal local de Orebro, mas imediações de Estocolmo, de um desenho que representa o profeta com um corpo de cão, desencadeou uma acesa polémica.

O Islão, na sua estrita interpretação, proíbe qualquer representação de Mahomé.

A publicação, em Setembro de 2005, pelo jornal dinamarquês Jyllands-Posten de desenhos satíricos sobre o profeta provocou em Janeiro e Fevereiro de 2006 um recrudescer da violências no mundo muçulmano e um boicote aos produtos da Dinamarca.

O autor desta última caricatura controversa de Mahomé, apesar desta ameaça, garante sentir-se em segurança, segundo a agência sueca TT.

Lars Vilks, actualmente no estrangeiro, admite estar extremamente vigilante, de acordo com a mesma fonte.

"Penso que de momento não preciso de me preocupar, porque me encontro no estrangeiro com alguma mobilidade, e quando estiver num lugar fixo será muito difícil encontrarem-me", declarou o desenhador.

O chefe de Redacção do Nerikes Allehanda, que publicou o desenho de Vilks, igualmente ameaçado de morte, indicou que vai estar em contacto permanente com os serviços de polícia para determinar qual comportamento a adoptar a longo termo.

Fonte: Diversos jornais publicados em Portugal


Texto traduzido para árabe

maomé ورثى اليوم ان بعض البلدان وجمعيات اسلامية اذا شعر المتضرر مع نشر مؤخرا من الكاريكاتير للنبي maomé في الدوري المحلي ، مما يؤكد ان حرية الكلام "غير قابل للتصرف" الحق في البلاد.
"الأنين ان يفهم الناس سيئة أو اذا شعر المتضرر. شخصيا ، لن تعمد الى شكل فعل يكون مفهوما من الأديان الاخرى كما provocatório او insultante "، واكد reinfeldt في اشعار رسمي ارسل الى اجهزة التحكم من جمعيات المسلمين من البلاد.

في الاسابيع الماضية ، egipto ، سيذهب باكستان والاردن ومنظمة المؤتمر الاسلامي ، وكذلك بعض المسؤولين الافغان الدينية ، قد ادان نشر الصورة الجديدة وطالبوها امر ذرائع من الحكومة السويديه.
محكمة باريس لينهي ilibar (22 آذار) فيليب فال ، مدير مكتب الاسبوعيه الساخرة "تشارلي ابدو" ، المتهم قد نشرت الكاريكاتيرات الهجوميه يعتبر من maomé لmuslen ، appointedly المدعى عليه "الجمهور اصابة الموجهة الى مجموعة من الناس لاسباب دينية تنتمي اعماله ".
المسجد الكبير في باريس واتحاد المنظمات الاسلامية في فرنسا ، اعضاء الفرنسية مشوره من المسلمين عبادة ، وعالميا liga الاسلامية ، انه اذا جاءهم الانضمام ، في طرح قضية لنشر الاسبوعيه "شارلي Hebdo "، في شباط / فبراير 2006 ، نظرت ثلاث الرسومات الهجوميه ، بشكل ملموس ، وطبقة عدد خاص من المجله حيث اذا اعيدت كانت قد نشرت الرسومات التي نشرتها الدوريه الدانمركيه" يولاندس بوستن "واثنين من الكاريكاتيرات المعروضة في هذا دورية :

قاعدة المعاهد مكافآت assassínio كاريكاتوريه للكاتب mahomé
قائد "الدولة الاسلامية في العراق" ، وانها تؤكد نفسك كما iraqian فرع من تنظيم القاعده ، الذي بدأ في الانترنت واحدة من النداءات assassínio مؤلفة من mahomé الكاريكاتير التي نشرت في دورية سويديه.
"Exortamos لتصفية صاحب الكاريكاتير ، ارس vilks ، لانها تسيء لنا نبي واحد نعلن مكافآت من 100 دولار لقتل هذا غير مخلص الجناءيه" ، اعلنت xeque ابو عمر البغدادي في رسالة ترسل بالبريد اليوم على الانترنت في بعض المزارع الصغيرة في islamistas الانترنت.
"هذه الجوائز سيتم زيادة 000 دولار لانه اذا قطع رأس fôr ، ويعلن احد مكافآت من 50.000 دولار لقتل رئيس redacção من الدوريه التي نشرت الكاريكاتير" ، وتضيف الرسالة ، التي لم تكن اصالة تتأكد.
أبو عمر البغدادي الاعذار لمطالب "cruzados" في السويد ، وحذر من الواجب مهاجمة شركات كبرى في هذا البلد ، كما اريكسون ، سكانيا ، فولفو ، ايكيا ، electrolux.
"Reservamo في حق أو معاقبة كاتب هذه الجريمة. نحن نعرف ما لاجبار اسأل لك الاعذار ، رشح مهاجمة اقتصاد مؤسستك عمالقه كما اريكسون ، سكانيا ، فولفو ، وelectrolux ايكيا "، وهدد زعيم تنظيم iraqian العصابات.
نشر في 18 آب في nerikes allehanda ، orebro من الدوري المحلي ، ولكن الملح estocolmo ، رسما ان النبي مع كلب هيئة تمثل ، أي فك السيجارة polémica.
فان islão ، في تفسير دقيق ، proíbe اي تمثيل mahomé.
نشر في ايلول / سبتمبر من عام 2005 ، لالدانماركيه الدوري يولاندس بوستن من الرسوم الساخرة عن النبي استفزاز فى شهرى يناير وفبراير من عام 2006 الى واحد عد من violências في العالم الاسلامي واحد قاطع لمنتجات الدنمارك.
صاحب هذا الاخير الكاريكاتير controversa من mahomé ، وان هذا التهديد ، ويضمن ان يشعر نفسه في الامن ، بحسب الوكالة السويديه رر.
ارس vilks حاليا الاجنبي ، ويعترف انه في غاية اليقظه ، وفقا للمصدر ذاته.
"اعتقد ان من الضروري لحظة لا تقلقني لأن أجد لي في اجنبي مع بعض الحركة ، وعندما يكون في مكان ثابت سيكون من الصعب جدا العثور على الأنا" ، المصمم المعلنة.
رئيس redacção من nerikes allehanda ان نشرت رسما vilks ، بنفس القدر من التهديد بالقتل ، مشيرة الى انها تذهب الى ان يكون على اتصال دائم مع سياسة لتحديد الخدمات التي تصرف لadoptar الطويل.
المصدر : نشرت في دوريات مختلفة البرتغال
اتحاد المغرب العربي
كوم ضد اي دي الفقره google ترجمة س.
سنقوم باستخدام اقتراحك لتحسين جودة الترجمة في المستقبل تحديثات لنظامنا. السويدي اول وزير فريدريك reinfeldt دافعت عن حرية الكلام من طريقة كاريكاتوريه للmaomé ورثى اليوم ان بعض البلدان وجمعيات اسلامية اذا شعر المتضرر مع نشر مؤخرا من الكاريكاتير للنبي maomé في الدوري المحلي ، مما يؤكد ان حرية الكلام "غير قابل للتصرف" الحق في البلاد. "الأنين ان يفهم الناس سيئة أو اذا شعر المتضرر. شخصيا ، لن تعمد الى شكل فعل يكون مفهوما من الأديان الاخرى كما provocatório او insultante "، واكد reinfeldt في اشعار رسمي ارسل الى اجهزة التحكم من جمعيات المسلمين من البلاد. في الاسابيع الماضية ، egipto ، سيذهب باكستان والاردن ومنظمة المؤتمر الاسلامي ، وكذلك بعض المسؤولين الافغان الدينية ، قد ادان نشر الصورة الجديدة وطالبوها امر ذرائع من الحكومة السويديه. محكمة باريس لينهي ilibar (22 آذار) فيليب فال ، مدير مكتب الاسبوعيه الساخرة "تشارلي ابدو" ، المتهم قد نشرت الكاريكاتيرات الهجوميه يعتبر من maomé لmuslen ، appointedly المدعى عليه "الجمهور اصابة الموجهة الى مجموعة من الناس لاسباب دينية تنتمي اعماله ". المسجد الكبير في باريس واتحاد المنظمات الاسلامية في فرنسا ، اعضاء الفرنسية مشوره من المسلمين عبادة ، وعالميا liga الاسلامية ، انه اذا جاءهم الانضمام ، في طرح قضية لنشر الاسبوعيه "شارلي Hebdo "، في شباط / فبراير 2006 ، نظرت ثلاث الرسومات الهجوميه ، بشكل ملموس ، وطبقة عدد خاص من المجله حيث اذا اعيدت كانت قد نشرت الرسومات التي نشرتها الدوريه الدانمركيه" يولاندس بوستن "واثنين من الكاريكاتيرات المعروضة في هذا دورية : قاعدة المعاهد مكافآت assassínio كاريكاتوريه للكاتب mahomé قائد "الدولة الاسلامية في العراق" ، وانها تؤكد نفسك كما iraqian فرع من تنظيم القاعده ، الذي بدا في احد الطعون assassínio الانترنت للمؤلف أ mahomé من الكاريكاتير التي نشرت في دورية سويديه. "Exortamos لتصفية صاحب الكاريكاتير ، ارس vilks ، لانها تسيء لنا نبي واحد نعلن مكافآت من 100 دولار لقتل هذا غير مخلص الجناءيه" ، اعلنت xeque ابو عمر البغدادي في رسالة ترسل بالبريد اليوم على الانترنت في بعض المزارع الصغيرة في islamistas الانترنت. "هذه الجوائز سيتم زيادة 000 دولار لانه اذا قطع رأس fôr ، ويعلن احد مكافآت من 50.000 دولار لقتل رئيس redacção من الدوريه التي نشرت الكاريكاتير" ، وتضيف الرسالة ، التي لم تكن اصالة تتأكد. أبو عمر البغدادي الاعذار لمطالب "cruzados" في السويد ، وحذر من الواجب مهاجمة شركات كبرى في هذا البلد ، كما اريكسون ، سكانيا ، فولفو ، ايكيا ، electrolux. "Reservamo في حق أو معاقبة كاتب هذه الجريمة. نحن نعرف ما لاجبار اسأل لك الاعذار ، رشح مهاجمة اقتصاد مؤسستك عمالقه كما اريكسون ، سكانيا ، فولفو ، وelectrolux ايكيا "، وهدد زعيم تنظيم iraqian العصابات. نشر في 18 آب في nerikes allehanda ، orebro من الدوري المحلي ، ولكن الملح estocolmo ، رسما ان النبي مع كلب هيئة تمثل ، أي فك السيجارة polémica. فان islão ، في تفسير دقيق ، proíbe اي تمثيل mahomé. نشر في ايلول / سبتمبر من عام 2005 ، لالدانماركيه الدوري يولاندس بوستن من الرسوم الساخرة عن النبي استفزاز فى شهرى يناير وفبراير من عام 2006 الى واحد عد من violências في العالم الاسلامي واحد قاطع لمنتجات الدنمارك. صاحب هذا الاخير الكاريكاتير controversa من mahomé ، وان هذا التهديد ، ويضمن ان يشعر نفسه في الامن ، بحسب الوكالة السويديه رر. ارس vilks حاليا الاجنبي ، ويعترف انه في غاية اليقظه ، وفقا للمصدر ذاته. "اعتقد ان من الضروري لحظة لا تقلقني لأن أجد لي في اجنبي مع بعض الحركة ، وعندما يكون في مكان ثابت سيكون من الصعب جدا العثور على الأنا" ، المصمم المعلنة. رئيس redacção من nerikes allehanda ان نشرت رسما vilks ، بنفس القدر من التهديد بالقتل ، مشيرة الى انها تذهب الى ان يكون على اتصال دائم مع سياسة لتحديد الخدمات التي تصرف لadoptar الطويل. المصدر : نشرت في دوريات مختلفة البرتغال

domingo, setembro 16, 2007

Colin McRae, Rally 2.0 and Dirt

«A polícia escocesa confirmou que o ex-campeão de rallys Colin McRae, de 39 anos e o seu filho de cinco anos estão entre as quatro vítimas de um acidente de helicóptero no sábado, perto da casa do ex-piloto, no sul da Escócia.», 16.09.2007


Colin McRae, MBE (Lanark, 5 de Agosto de 1968 — Jerviswood, South Lanarkshire, 15 de Setembro de 2007), o melhor piloto britânico do Campeonato Mundial de Rallys, filho de Jimmy McRae, foi cinco vezes campeão do Rally do Reino Unido.

Ganhou o título de piloto do mundo em 1995, foi vice-campeão em 1996, 1997 e 2001, e terceiro em 1998. Ajudou a Subaru a garantir o título de construtores em 1995, 1996 e 1997, e a Citroen em 2003. Foi agraciado com o título de MBE (Member of the British Empire) pela Rainha Isabel II em 1996.

http://www.codemasters.co.uk/dirt/index2.php


«Realismo quase assustador», PC Gamer

«Emoção ao volante sem paralelo no mundo do PC», PC Gaming World

Novos padrões de realismo nos ralis virtuais.

Melhorámos o desempenho, reformulámos o motor e aperfeiçoámos o design.

A condução fica a cargo dos jogadores.

Conduzam os melhores carros de rali do passado e presente, desde o Ford Focus até ao Mitsubishi Lancer e passando pelo Mini Cooper.

Mais de 90 pistas internacionais e 3 novos países – Quénia, Finlândia e Itália.

Novo modo Arcade Rally – corridas de circuito com 6 carros em simultâneo e opções multiplater para dois jogadores com ecrã dividido.

2-4 jogadores podem jogar alternadamente no modo Championship – a derradeira experiência o mundo de ralis.

Novo modo Rally Challenge para 1-8 jogadores, enfrentem os vossos amigos num torneio frente a frente.

As ajudas do co-piloto estão mais realistas que nunca com a colaboração de Nicky Grist, o navegador de Colin McRae.

Gráficos espectaculares e câmaras dinâmicas de estilo televisivo.


Para além dos jogos de corridas, aqui fica a homenagem deste blogue, aquele que foi um dos pilotos de rallys mais espectaculares de todos os tempos, desaparecido num estúpido acidente de helicóptero.



Que continue a acelerar nas pistas do além…

Texto e Pesquisa - Mário Nunes

sábado, setembro 15, 2007

A Beira e o Grande Hotel


Vista aérea da Beira

Milhares de quilómetros e a distância temporal, nos separam, Portugal e Moçambique…

Contudo há umas semanas atrás, fiquei chocado com a reportagem exibida no 2º Canal da televisão portuguesa.

A reportagem focava a segunda cidade de Moçambique, a Beira e o Grande Hotel, um dos ex-libris da cidade e que está votado ao abandono e esquecimento, para desespero dos actuais responsáveis da cidade, que são da Renamo.

Apesar da distância, a impressão com que ficamos é que há um distanciamento entre o Governo de Moçambique, sob a orientação da Frelimo e a Beira. Igual distanciamento há entre a capital e a Beira.

Fiquei chocado, para além dos 1.000 km que separam as duas cidades, parece que se está a cavar um «fosso», uma divisão…


Estação dos Caminhos de Ferro de Moçambique, na Beira

«A cidade Beira, foi construída com grande determinação, na margem do Rio Pungué, em cima de terrenos alagadiços e atravessados pelo Chiveve. Uma obra quase impossível. Talvez essa teimosia tenha marcado a maneira de ser dos Beirenses. Comunidade muito coesa, altiva e hospitaleira.

A segunda cidade de Moçambique, ponto de reunião das pessoas que tinham a sua actividade no eixo Beira (o Porto) - Vila Pery (a agricultura) - Tete (Barragem de Cahora-Bassa).

A cidade do Chiveve sempre bela, com a sua praia, com o farol, a praça do Município; os bairros do Maquinino e da Manga; a avenida da República com as belas acácias, jacarandás e figueiras da Índia; o moderno edifício dos Caminhos de Ferro». (in xirico, http://xirico.com)


Grande Hotel da Beira, fotografia obtida em 1998

Ora, em democracia é necessário conviver com as diferenças e respeitar aqueles que pensam de maneira diferente da nossa, por muito que nos desagrade.

A diferença de opiniões e de maneiras de pensar é saudável.

Tenho-me apercebido que em Moçambique há ainda quem lide muito mal com a influência portuguesa e quem queira negar o passado, erradamente, porque Moçambique é um país único, que bebeu durante os séculos, de inúmeras culturas: Zimbabué, Árabe, Suazi, Zulu, Indiana, Chinesa e Portuguesa.

Em diferentes aspectos, a multi-culturas deste país tornam-no único, face a alguns países de África e quem sabe, se este não é o motor de arranque, que permitirá Moçambique dar o grande salto em frente.

Apesar dalguns progressos, a impressão com que ficamos é que as estradas, as ruas, edifícios e as infra-estruturas, dalgumas localidades e cidades de Moçambique se encontram completamente degradadas, votadas ao esquecimento e ao ostracismo.

http://www.youtube.com/watch?v=Ngfm4xeRZq4



Praia da Beira

Excepção feita a algumas zonas da capital moçambicana que continuam imaculadas e algumas zonas do país, que vivem do turismo.

Dir-me-ão que estamos em África!

É verdade, respondo eu, muito tem sido feito em Moçambique, mas muito mais há ainda para fazer…

Força Moçambique!

Este Post nasceu duma conversa entre mim e a Madalena Gouvêa Lemos, autora do blogue Pensamentos e Espiritualidade (http://pensamentoseespiritualidade.blogspot.com)

e após uma visita ao inesquecível blogue do Antero Ferreira, Moçambique Saudades (http://anteromanuel.blogs.simplesnet.pt).



Texto - Mário Nunes

quinta-feira, setembro 13, 2007

Dalai Lama, Oceano de Sabedoria

O Dalai Lama ao longo do tempo tornou-se o líder político do Tibete.

O Dalai Lama é um líder temporal e político. Na verdade, ele é um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do Budismo tibetano.

O actual Dalai Lama é Tenzin Gyatso, o 14º Dalai-Lama. Ele nasceu em 1935 e vivia no Palácio de Potala durante o inverno e na residência de Norbulingka durante o verão, em Lhasa, capital do Tibete. Em 1959, quando a China comunista invadiu o Tibete, à data um dos poucos países do mundo sem exército, o Tibete resistiu como pôde face ao Exército Chinês, bem equipado, que desbaratou os resistentes tibetanos, conduzindo desde então uma política opressora e um genocídio sem limites, bem como uma limpeza étnica e assimilação cultural.


O Dalai Lama fugiu para a Índia, onde mora até hoje, em Dharamsala.

Dalai significa "Oceano" em mongol e "Lama" é a palavra tibetana para mestre, guru, e várias vezes referido por "Oceano de Sabedoria".

Portugal tem, contudo, razões históricas para olhar o Dalai Lama e o Tibete de outra maneira.


É que da mesma forma que Jorge Álvares foi o primeiro europeu a estabelecer um entreposto de negócios na China – e por isso Portugal usufruiu de Macau durante quatro séculos – foi também um português, o padre António Andrade (1580-1634), o primeiro europeu a entrar na história do Tibete.



Libertem o Tibete Já!

«A China é hoje o paradigma do capitalismo mais selvagem e desumano que alguma vez terá sido praticado à superfície da terra. Em paralelo ainda se dá ao luxo de ter uma parte alargada do seu território e dos seus cidadãos debaixo de uma feroz ditadura comunista.



Violadora dos mais elementares direitos do Homem, ignorante dos mais básicos preceitos de políticas sociais, predadora do ambiente. Vê o Mundo a seus pés só porque anualmente coloca uns milhões de consumidores à mercê da divina economia liberal de mercado.



Mas mal vai uma civilização que aliena os seus princípios doutrinadores em troca dos interesses mais imediatistas. Mal vai a Europa quando radicaliza as suas posições em relação ao tirano, mas relativamente ‘pobre’ Mugabe, e ignora olimpicamente a história de genocídio selvagem que varreu o Tibete. Não receber o guia espiritual de 400 milhões de seres humanos, portador de uma mensagem permanentemente pacífica e tolerante, é lastimável. Fazê-lo com aspereza envergonha-nos.», in Correio da Manhã

Imagens de Kundum, de Martin Scorcese

O Budismo é mais que uma religião. É uma filosofia de vida baseada nos ensinamentos deixados por Buda – Siddhartha Gautma – Príncipe Indiano, que abandonou a vida de luxo da corte, para viver na floresta, como guru, viveu aproximadamente entre 563 e 483 a.C. na Índia. O Budismo espalhou-se através da Ásia, Ásia Central, Tibete, Sri Lanka, Sudeste Asiático China, Birmânia, Coreia, Vietname e Japão. Hoje, o budismo encontra-se em quase todos os países do mundo, amplamente divulgado pelas diferentes escolas budistas, e conta com cerca de 376 milhões de seguidores.

Os ensinamentos básicos do budismo são: evitar o mal, fazer o bem e cultivar a própria mente. O objectivo é o fim do ciclo de sofrimento, despertando no praticante o entendimento da realidade última - o Nirvana.

A moral budista é baseada nos princípios de preservação da vida e moderação. Apesar do budismo não negar a existência de seres sobrenaturais (de fato, há muitas referências nas escrituras Budistas), ele não confere nenhum poder especial de criação, salvação ou julgamento a esses seres, não compartilhando da noção de Deus comum à maioria das religiões.

O Budismo é mais que uma religião. É uma Filosofia de Vida virada para o próprio Homem.

Imagens de Little Buddha, de Bernardo Bertolucci

quarta-feira, setembro 12, 2007

Fahrenheit 9/11, Michael Moore


«No Alvo! Fahrenheit 9/11 mais que justifica a sue Reputação…

Fascinante!»

Richar Corliss, Time

Palma de Ouro – Festival de Cinema Cannes 2004

No mais controverso e provocador filme do ano, o vencedor do Óscar, Michael Moore (2002, Melhor Documentário, Bowling for Columbine) apresenta-nos um sério exame sobre o papel que desempenham o dinheiro e o petróleo na origem dos trágicos acontecimentos do 11 de Setembro. Com o seu característico humor e forte motivação em revelar todos os factos, Moore analisa a presidência de George W. Bush e até onde esta nos levou, nomeadamente o como – e o porquê – da intenção de Bush e dos círculos mais próximos em evitar estabelecer uma ligação Saudita com o 11 de Setembro, apesar de 15 dos 19 piratas do ar serem Sauditas e de ter sido esse dinheiro que apoiou a Al Qaeda.

Um documentário obrigatório de ser visto e que é um marco na história do cinema político americano.

«Excelente!»

Los Angeles Times

«Cativante!»

Time Magazine

Para ver e rever… Disponível em DVD.

http://www.michaelmoore.com

segunda-feira, setembro 10, 2007

Mandred Von Richthofen, O Barão Vermelho

Em 1916, os combates aéreos começam a ter uma importância significativa, no decurso da I Guerra Mundial. O Barão Manfred Von Richthofen é colocado numa base aérea, no norte de França. Enquanto as suas qualidades militares são devidamente apreciadas. O seu autoritarismo não é bem visto pelos colegas, a começar pelo jovem Hermaann Goering. Do outro lado, Roy Brown é um piloto canadiano recém chegado a uma base inglesa, ambicioso, mas também rebelde e individualista. Von Richthofen é ordenado comandante da base e a primeira medida é mandar pintar os aviões de cores garridas, o que lhe vale o alcunha de Barão Vermelho. Encomendados novos aviões triplanos à Fokker, Von Richthofen abate mais de 80 aviões inimigos, até à Primavera de 1918. Depois de vários duelos Roy Brown avista o seu rival, a 21 de Abril desse ano, abre fogo e abate-o. O comando da aviação germânica é entregue a Goering…


«Von Richthofen and Brown», O Barão Vermelho, realizado por Roger Corman, com John Phillip Law, Don Stroud, Barry Primus e Karen Huston, em VHS.


Para mim, um dos melhores filmes sobre a I Guerra Mundial, realizado por um realizador que foi injustamente esquecido por Hollywood e associado aos filmes da série B.


Os factos, segundo a História, o barão Manfred Albrecht von Richthofen nasceu a 2 de Maio de 1892, em Breslau, Silésia – Wroclaw, Polónia e tombou em combate em França nos céus de Vaux-Sur Somme, a 21 de Abril de 1918), foi um piloto de combate alemão e é considerado ainda hoje como o «ás dos ases», um líder militar e um ás da aviação que venceu oitenta e três combates aéreos durante a Primeira Guerra Mundial. A sua morte tem sido creditada ao piloto canadiano Roy Brown. Todavia, é bem possível que tenha sido derrubado por um tiro a longa distância de um soldado australiano em solo, S. Evans.


Richthofen foi conhecido como Der Rote Kampfflieger (guerreiro-voador vermelho) pelos alemães, Petit Rouge (pequeno vermelho) e Le Diable Rouge (diabo vermelho) pelos franceses, e Red Knight (Cavaleiro Vermelho) e Red Baron (Barão Vermelho) pelos ingleses.


Quando tinha nove anos de idade, Richthofen apreciava caçar a cavalo e equitação e foi estudar para Inglaterra no Lincoln College, Oxford. Depois disso ingressou na escola militar. Após terminar o curso como cadete, juntou-se ao Regimento nº 1 de Uhlan como membro da cavalaria em 1911.


Quando estourou a Primeira Guerra Mundial, era um oficial da cavalaria e foi chamado ao dever nas frentes ocidental e oriental, servindo de escolta para o exército alemão. Em Maio de 1915, Richthofen pediu para ser transferido à Força Aérea. Transformou-se num observador aéreo.


Inspirado pela oportunidade de conhecer o grande piloto de combate Oswald Boelcke, Manfred decidiu tornar-se ele próprio um piloto. Mais tarde, Boelcke selecionou von Richthofen para juntar-se ao grupo de elite Jagdstaffel ("grupo de caça"), JASTA 2. Von Richthofen ganhou seu primeiro combate aéreo sobre Cambrai, França, em 1916.



Manfred, como muitos dos seus colegas pilotos, era muito supersticioso. Nunca saia em missão sem ser beijado por alguém querido. Isto tornou-se rapidamente um hábito difundido entre todos os pilotos de combate.

Depois da sua 18ª vitória, von Richthofen recebeu o Pour le Mérite, a honraria militar mais elevada da Alemanha na época. Em 23 de Novembro de 1916, ele derrubou o ás britânico Lanoe Hawker, denominado de "o Boelcke Britânico". Isto aconteceu quando von Richthofen ainda voava num Albatros D.II. Após esta batalha, foi convencido de que necessitava de um avião com mais agilidade, embora isto implicasse uma perda de velocidade. Infelizmente para ele, o Albatros foi o avião padrão da Força Aérea Alemã até finais de 1917, e o barão voou num Albatros modelo D.III e depois para um D.V.. Em Setembro daquele ano Richthofen passou a pilotar um Fokker Dr. I, um avião triplano ao qual ficou para sempre associado.

Texto e Pesquisa - Mário Nunes
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...