terça-feira, setembro 30, 2008

O Impensável Aconteceu, Boaventura de Sousa Santos

«Esta não é a crise final do capitalismo e, mesmo se fosse, talvez a esquerda não soubesse o que fazer dela»

«A PALAVRA não aparece na media dos EUA, mas é disso que se trata: nacionalização.


Perante as falências ocorridas, anunciadas ou iminentes de importantes bancos de investimento, das duas maiores sociedades hipotecárias do país e da maior seguradora do mundo, o governo federal norte-americano decidiu assumir o controle direto de uma parte importante do sistema financeiro.


A medida não é inédita. O governo interveio em outras crises profundas: 1792 (no mandato do primeiro presidente do país), 1907 (o papel central na resolução da crise coube ao grande banco de então, J.P. Morgan, hoje, Morgan Stanley, também em risco), 1929 (a Grande Depressão: em 1933, mil norte-americanos por dia perdiam suas casas para os bancos) e 1985 (crise das associações de poupança e empréstimo). O que é novo na intervenção em curso é sua magnitude e o fato de ela ocorrer ao fim de 30 anos de evangelização neoliberal conduzida com mão-de-ferro em nível global pelos EUA e pelas instituições financeiras por eles controladas, FMI e Banco Mundial: mercados livres e, porque livres, eficientes; privatizações; desregulamentação; Estado fora da economia, porque inerentemente corrupto e ineficiente; eliminação de restrições à acumulação de riqueza e à correspondente produção de miséria social.
Foi com essas receitas que se "resolveram" as crises financeiras da América Latina e da Ásia e que se impuseram ajustamentos estruturais em dezenas de países. Foi também com elas que milhões de pessoas foram lançadas no desemprego, perderam as suas terras ou os seus direitos laborais, tiveram de emigrar.


À luz disso, o impensável aconteceu: o Estado deixou de ser o problema para voltar a ser a solução; cada país tem o direito de fazer prevalecer o que entende ser o interesse nacional contra os ditames da globalização; o mercado não é, por si, racional e eficiente, apenas sabe racionalizar a sua irracionalidade e ineficiência enquanto estas não atingem o nível de autodestruição.


Esta não é a crise final do capitalismo e, mesmo se fosse, talvez a esquerda não soubesse o que fazer dela, tão generalizada foi a sua conversão ao evangelho neoliberal. Muito continuará como dantes: o espírito individualista, egoísta e anti-social que anima o capitalismo; o fato de que a factura das crises é sempre paga por quem nada contribuiu para elas, a esmagadora maioria dos cidadãos.


Mas muito mais mudará. Primeiro, o declínio dos EUA como potência mundial atinge novo patamar. O país acaba de ser vítima das armas de destruição financeira maciça com que agrediu tantos países nas últimas décadas e a decisão "soberana" de se defender foi afinal induzida pela pressão dos seus credores estrangeiros (sobretudo chineses) que ameaçaram com uma fuga que seria devastadora para o actual "american way of life".


Segundo, FMI e Banco Mundial deixaram de ter autoridade para impor suas receitas, pois sempre usaram como bitola uma economia que se revela fantasma. Daqui em diante, a primazia do interesse nacional pode ditar, por exemplo, taxas de juro subsidiadas para apoiar indústrias em perigo (como as que o Congresso dos EUA acaba de aprovar para o sector automotivo).


Não estamos ante uma desglobalização, mas estamos certamente ante uma nova globalização pós-neoliberal internamente muito mais diversificada. Emergem novos regionalismos, já presentes na África e na Ásia, mas sobretudo importantes na América Latina, como o agora consolidado com a criação da União das Nações Sul-Americanas e do Banco do Sul.


Terceiro, as políticas de privatização da segurança social ficam desacreditadas: é eticamente monstruoso acumular lucros fabulosos com o dinheiro de milhões de trabalhadores humildes e abandonar estes à sua sorte quando a especulação dá errado.


Quarto, o Estado que regressa como solução é o mesmo que foi moral e institucionalmente destruído pelo neoliberalismo, o qual tudo fez para que sua profecia se cumprisse: transformar o Estado num antro de corrupção. Isso significa que, se o Estado não for profundamente reformado e democratizado, em breve será, agora, sim, um problema sem solução.
Quinto, as mudanças na globalização hegemónica vão provocar mudanças na globalização dos movimentos sociais e vão certamente reflectir-se no Fórum Social Mundial: a nova centralidade das lutas nacionais e regionais; as relações com Estados e partidos progressistas e as lutas pela refundação democrática do Estado; as contradições entre classes nacionais e transnacionais e as políticas de alianças.



BOAVENTURA DE SOUSA SANTOS, 67, sociólogo português, é professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (Portugal). É autor, entre outros livros, de "Para uma Revolução Democrática da Justiça" (Cortez, 2007).»

Texto de Boaventura de Sousa Santos, enviado por Valdemar Andrade

Congratulations, Corporate Crime Fighters! Coup Averted for Three Days! ...from Michael Moore


«Friends,

Everyone said the bill would pass. The masters of the universe were already making celebratory dinner reservations at Manhattan's finest restaurants. Personal shoppers in Dallas and Atlanta were dispatched to do the early Christmas gifting. Mad Men of Chicago and Miami were popping corks and toasting each other long before the morning latte run.

But what they didn't know was that hundreds of thousands of Americans woke up yesterday morning and decided it was time for revolt. The politicians never saw it coming. Millions of phone calls and emails hit Congress so hard it was as if Marshall Dillon, Elliot Ness and Dog the Bounty Hunter had descended on D.C. to stop the looting and arrest the thieves.

The Corporate Crime of the Century was halted by a vote of 228 to 205. It was rare and historic; no one could remember a time when a bill supported by the president and the leadership of both parties went down in defeat. That just never happens.

A lot of people are wondering why the right wing of the Republican Party joined with the left wing of the Democratic Party in voting down the thievery. Forty percent of Democrats and two-thirds of Republicans voted against the bill.

Here's what happened:

The presidential race may still be close in the polls, but the Congressional races are pointing toward a landslide for the Democrats. Few dispute the prediction that the Republicans are in for a whoopin' on November 4th. Up to 30 Republican House seats could be lost in what would be a stunning repudiation of their agenda.

The Republican reps are so scared of losing their seats, when this "financial crisis" reared its head two weeks ago, they realized they had just been handed their one and only chance to separate themselves from Bush before the election, while doing something that would make them look like they were on the side of "the people."

Watching C-Span yesterday morning was one of the best comedy shows I'd seen in ages. There they were, one Republican after another who had backed the war and sunk the country into record debt, who had voted to kill every regulation that would have kept Wall Street in check -- there they were, now crying foul and standing up for the little guy! One after another, they stood at the microphone on the House floor and threw Bush under the bus, under the train (even though they had voted to kill off our nation's trains, too), heck, they would've thrown him under the rising waters of the Lower Ninth Ward if they could've conjured up another hurricane. You know how your dog acts when sprayed by a skunk? He howls and runs around trying to shake it off, rubbing and rolling himself on every piece of your carpet, trying to get rid of the stench. That's what it looked like on the Republican side of the aisle yesterday, and it was a sight to behold.

The 95 brave Dems who broke with Barney Frank and Chris Dodd were the real heroes, just like those few who stood up and voted against the war in October of 2002. Watch the remarks from yesterday of Reps. Marcy Kaptur, Sheila Jackson Lee, and Dennis Kucinich. They spoke the truth.

The Dems who voted for the giveaway did so mostly because they were scared by the threats of Wall Street, that if the rich didn't get their handout, the market would go nuts and then it's bye-bye stock-based pension and retirement funds.

And guess what? That's exactly what Wall Street did! The largest, single-day drop in the Dow in the history of the New York Stock exchange. The news anchors last night screamed it out: Americans just lost 1.2 trillion dollars in the stock market!! It's a financial Pearl Harbor! The sky is falling! Bird flu! Killer Bees!

Of course, sane people know that nobody "lost" anything yesterday, that stocks go up and down and this too shall pass because the rich will now buy low, hold, then sell off, then buy low again.

But for now, Wall Street and its propaganda arm (the networks and media it owns) will continue to try and scare the bejesus out of you. It will be harder to get a loan. Some people will lose their jobs. A weak nation of wimps won't last long under this torture. Or will we? Is this our line in the sand?

Here's my guess: The Democratic leadership in the House secretly hoped all along that this lousy bill would go down. With Bush's proposals shredded, the Dems knew they could then write their own bill that favors the average American, not the upper 10% who were hoping for another kegger of gold.

So the ball is in the Democrats' hands. The gun from Wall Street remains at their head. Before they make their next move, let me tell you what the media kept silent about while this bill was being debated:

1. The bailout bill had NO enforcement provisions for the so-called oversight group that was going to monitor Wall Street's spending of the $700 billion;

2. It had NO penalties, fines or imprisonment for any executive who might steal any of the people's money;

3. It did NOTHING to force banks and lenders to rewrite people's mortgages to avoid foreclosures -- this bill would not have stopped ONE foreclosure!;

4. It had NO teeth anywhere in the entire piece of legislation, using words like "suggested" when referring to the government being paid back for the bailout;

5. Over 200 economists wrote to Congress and said this bill might actually WORSEN the "financial crisis" and cause even MORE of a meltdown.

Put a fork in this slab of pork. It's over. Now it is time for our side to state very clearly the laws WE want passed. I will send you my proposals later today. We've bought ourselves less than 72 hours.

Yours,
Michael Moore


MMFlint@aol.com
MichaelMoore.com »


Qu'est-ce que la crise financière, ce qui, que la mise en scène...


C'est Le début de la fin pour Le capitalisme !!!
L'avenir s'annonce difficile.

Soumis par Racal

segunda-feira, setembro 29, 2008

Qual crise financeira, qual quê, que encenação...

Esta palhaçada provavelmente já foi longe de mais, parece tudo montado, urdido e pensado até ao mais pequeno pormenor...

Desde o 11 de Setembro, nada parece ser o que era...

Gigantes económicos jazem por terra, bancos com um passado, caíram em desgraça e abriram falência, provavelmente ainda não saberemos da missa a metade...

Será real esta crise?

Volto a questionar-me será que não foi pensada até ao seu mais pequeno pormenor?

Para não falarmos da especulação dos preços de petróleo...

Ou ainda dos bens alimentares...

Para onde vamos nós?


Se a crise realmente assolasse os EUA, seria possível estes manterem em aberto e travar guerras sem cartel no Iraque e no Afeganistão?

Ter esquadras aero-navais em prontidão, na vizinhança do Irão, da Coreia do Norte ou mesmo da Rússia?

Efectuar pesquisas com armamento ultra sostificado?

Ou há mais que uma contabilidade nos EUA?

Terão os EUA uma contabilidade paralela?

Nada é o que parece ser...



What financial crisis, which what, who staged ...

This farce has been probably far from over, it seems everything fitted, woven and thought to the smallest detail ...


Since the Sept. 11, nothing seems to be what it was ...


Economic giants buried by land, banks with a past, fell into disgrace and opened bankruptcy, probably not yet know the half of the Mass ...


Is this real crisis?

I will be asking me that was not thought to its smallest detail?


Not to speak of speculation in the price of oil ...

Or even the food ...

Where are we?



If the crisis really devastate the U.S., could they keep open and free qartel stop wars in Iraq and Afghanistan?
Squads have air-naval into readiness, in the vicinity of Iran, North Korea or even Russia?
To search with ultra sostificated arms?

Or there is more than an accounting in the U.S.?


The U.S. will have a parallel accounting?


Nothing is as it seems ...





偽造-中國製造 = Falsificado – Fabricado na China


Um dia pagaremos a factura bem cara!

De Norte a Sul de Portugal, em toda a Europa, inúmeras fábricas encerraram os portões e transferiram-se de armas e bagagens, para a China, que passou a ser a «Fábrica», por excelência do Mundo inteiro.

Em solo chinês, os produtos são manufacturados a baixo custo e em número elevado.

Os industriais pagam tuta e meia aos operários e há quem fale em trabalho escravo.

Enquanto, na Europa, o desemprego atinge níveis nunca vistos.

Mas adiante, hoje não estou aqui para vos falar de Trabalho, Emprego, Desemprego, mas sim da qualidade duvidosa dos produtos, Made in China...

Qualidade essa, de teor duvidoso!

Eu iria mais longe, os produtos chineses não prestam, deixam muito a desejar em questão de qualidade e resistência.

As queixas avolumam-se nos mais variados sectores, desde o têxtil ao calçado – peças fabricadas com amianto, produtos tóxicos e radioactivos, aos brinquedos (idem aspas), aos medicamentos (sucedem-se os envenenamentos em inúmeros países, pois os princípios activos destes tem sido adulterados) passando agora pelo sector alimentar (leite e seus derivados) – foi preciso morrerem centenas de bebés, na China para as autoridades daquele país acordarem , para não falarmos dos chocolates, com a Cadbury's, a M & M, as bolachas Oreo a retirarem os seus produtos das prateleiras dos supermercados.

Isto de colocar melanina (no leite), que é utilizada no fabrico de plásticos, colas, vernizes e tintas não lembra ao Diabo!

A ganância e o dinheiro fácil hão-de ser a perdição da China e de toda uma civilização.

Os lucros não justificam os meios.

É tempo para dizer: «O que é Nacional é bom!»


domingo, setembro 28, 2008

Charlie Chaplin, «O Grande Ditador»



O Mundo é uma bola! - Excerto do filme «O Grande Ditador»


Uma cena clássica do Cinema.
Adolf Hitler (Charlie Chaplin) brincando com o Mundo, em «O Grande Ditador», filme de 1940.
Cinquenta e oito anos depois é a vez de Gerorge W. Bush brincar…
Ainda não sabemos quais as consequências…

Yves Rossy atravessou com sucesso, o Canal da Mancha!


Yves “FusionMan” ou “Jet Man” Rossy atravessou no passado dia 26 de Setembro, o Canal da Mancha usando apenas uma asa de propulsão a jacto desenvolvida artesanalmente. Yves Rossy tornou-se o primeiro homem a conseguir o feito, voando desde Calais (França) até Dover (Reino Unido), em apenas 13 minutos.



O piloto suíço percorreu a distância de 35 quilómetros, a uma velocidade média de quase 200 quilómetros por hora.


A viagem de hoje teve início no Aeroporto de Calais, onde Yves Rossy foi levantado até aos 2.500 metros de altura. Uma vez a essa distância do chão, FusionMan pôs os motores a funcionar e saltou do avião sobre Calais.




Depois de ter estabilizado a única asa, o “homem-pássaro” deu início ao seu voo ao longo do Canal em direcção a Dover, no Reino Unido. Quando finalmente avistou os “Montes Brancos” de Dover, Rossy abriu o pára-quedas e aterrou às 13h19.



“Estiveram muitas pessoas comigo durante o voo, e quero agradecer-lhes... Foi tudo perfeito. Mostrei que é possível voar um bocadinho como um pássaro”, disse o suíço, momentos depois de ter completado o feito.

Yves Rossy não se vai ficar por aqui. No futuro, pretende continuar a desenvolver a sua asa, de modo a torná-la mais leve e fácil de manobrar, para conseguir, entre outras coisas, voar sobre o Grand Canyon, nos Estados Unidos, saltando a partir do chão.


Blood for Oil

Levantamentos nas caixas ATM vão custar 1,50€

Ainda não há assinaturas suficientes...


Já são 312.383 assinaturas, mas são precisas 1.000.000, para o assunto ser exposto na Assembleia da República.


Os bancos preparam-se para nos cobrarem 1,50 Euros, por cada levantamento nas caixas ATM.


Isto é, de cada vez que levantar o seu dinheiro com o seu cartão, o
banco vai almoçar à sua conta. Este 'imposto' (é mesmo uma
imposição, e unilateral) aumenta exponencialmente os lucros dos bancos, que continuam a subir na razão directa da perda de poder de compra dos Portugueses.

Este é um assunto que interessa a todos os que não são banqueiros e não têm pais ricos.

Quem não estiver de acordo e quiser protestar, assine a petição e reencaminhe a mensagem para o maior número de pessoas conhecidas.

http://www.petitiononline.com/bancatms/



DIVULGUEM ESTE EMAIL, P.F.

JÁ CHEGA DE SERMOS ROUBADOS PELA BANCA AO COBRO DA LEI.
JÁ SÓ FALTA UMA PETIÇÃO PARA MUDAR A LEI.


é preciso ultrapassar às 1.000.000!

(mensagem a circular na rede!)



sábado, setembro 27, 2008

Sangue por petróleo...

Mais um site censurado!

Em http://www.boodforoil.org era possível encontrar magníficos posters anti guerra.

Era um site anti império, anti ocupação, enfim…

Era, porque agora já não é, nada escapa aos censores, que em nome da liberdade e democracia, pura e simplesmente bloqueiam conteúdos, apagam-nos, censuram-nos, classificam-nos como pornográficos ou como conteúdos menos próprios.

Estão pior que no tempo de Estaline, em que as fotografias eram retocadas mais que uma vez, ao sabor da corrente, pura e simplesmente, as pessoas eram eliminadas, quer fisicamente, quer historicamente, como se nunca tivessem existido, a lembrar um episódio muito curioso da 3ª temporada dos Ficheiros Secretos – The X-Files.

Até os acessos são controlados, isto é o público-alvo de alguns sites ou blogues só são acedidos por determinados países, passo a explicar determinado blogue só é acedido ou por portugueses ou por brasileiros, mesmo que às vezes as mensagens se encontrem escritas noutras línguas, como um gigantesco filtro!

Liberdade dizem eles!

Ao ponto que isto chegou!

Nada escapa à fúria dos censores norte americanos que controlam na web, tudo e todos.

Echelon em acção!

E pretendem nos controlar a breve prazo a todos nós, a menos que alguém lhes dê um valente murro nos c…!

Pink Floyd, Interstellar Overdrive (2)

Pink Floyd, Interstellar Overdrive (1)



Mais uma composição psicadélica dos Pink Floyd, gravada em 5 de Agosto de 1967 – há 41 anos!
Extraída do álbum The Piper at the Gates of the Dawn.

sexta-feira, setembro 26, 2008

Matança nas Ilhas Faroé

Um espectáculo hediondo ocorre todos os anos nas águas das Ilhas Faroé (território autónomo da Dinamarca), localizadas a norte da Escócia.




O mar tingiu-se de vermelho.




O Homem, a besta assassina andava à solta!




Para Meditar!

Imagens enviadas por Valdemar Andrade



quinta-feira, setembro 25, 2008

Pink Floyd, Astronomy Domine

De volta aos primórdios…

Quando ainda não eram conhecidos todas as experiências sonoras eram permitidas, a uma das bandas mais inovadoras da História da Música moderna.

Astronomy Domine, os Pink Floyd ao vivo na Bélgica em 1968.

quarta-feira, setembro 24, 2008

Shenzhou VII (Nave dos Deuses) entra na corrida pela conquista do Espaço

A China, o terceiro país a colocar em órbita uma nave espacial tripulada, prepara-se agora para entrar na conquista do espaço. A nave irá descolar na próxima 5ª feira a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiunquan, no Deserto de Gansu, no noroeste da China.

Um dos 3 astronautas (Zhai Zhigang, Liu Boming e Jing Haipeng) irá sair da nave e efectuar um passeio no espaço.

Esta é a terceira missão espacial chinesa com tripulação. A China vai principiar um programa de exploração espacial de 10 anos. A finalidade do país é a criação duma estação espacial na Lua e o envio de astronautas chineses para o satélite da Terra.



GENE LOVES JEZEBEL regressam a Portugal com um concerto único em Penela!

Os GENE LOVES JEZEBEL regressam a Portugal no próximo dia 27 Setembro, para mais um fabuloso concerto em PENELA, integrado nas Festas de S. Miguel / Feira das Nozes 2008.


Esta Banda Inglesa intensamente apreciada por um público fiel em Portugal, continua a ser um fenómeno de sucesso imparável.



No seu regresso a Portugal, poderá ouvir e recordar em Penela os grandes êxitos da banda tais como, BREAK THE CHAIN, JOSEPHINA, DESIRE, SWEET SWEET RAIN, e vibrar com a grande energia dos Gene Loves Jezebel.



No próximo dia 27 de Setembro, em Penela, a banda britânica Gene Loves Jezebel vai reviver alguns dos seus temas de maior sucesso dos anos 80, trabalhos como Promise (álbum de estreia, 1983), Immigrant (1984) Discover (1986) ou The House of Dolls (1987), e dos tão conhecidos temas, BREAK THE CHAIN, JOSEPHINA, DESIRE, SWEET SWEET RAIN, vão ser recordados neste concerto, marcado para o Pavilhão Multiusos de Penela, às 23H00, com entradas gratuitas.



Para recordar a banda e saber mais sobre este concerto:
Myspace dos Gene Loves Jezebel, Site Oficial dos Gene Loves Jezebel,
Gene Loves Jezebel no Youtube



Não faltes! Já só faltam 3 dias para Penela receber o GENE LOVES JEZEBEL, no seu grande regresso a Portugal!



Pede à SONAE para mudar. Peixe Sustentável: Já!

Olá,

Os mares e oceanos do nosso planeta estão em crise, mas tu podes ajudar a salvá-los.

No mês passado, a Greenpeace apresentou o seu ranking de supermercados e mostrou quais entre eles possuem as piores e as melhores políticas de compra e venda de peixe. Os supermercados da Sonae Distribuição – com as marcas Continente, Modelo e Modelo Bonjour - obtiveram o pior resultado e ficaram em último lugar.

Envia um email

Junta-te à Greenpeace e diz aos supermercados Modelo, Continente e Modelo Bonjour para deixarem de vender as espécies da lista vermelha da Greenpeace e para implementarem uma política de peixe sustentável. Tu tens o direito de saber o que compras e de poder fazer uma escolha consciente.

Clica aqui para enviar

Telefona para a Sonae!

Liga para a Sonae Distribuição e pede que os supermercados Modelo, Continente e Modelo Bonjour deixem de vender as espécies de peixe da lista vermelha da Greenpeace; adoptem uma política de peixe sustentável; e façam uma etiquetagem adequada de todos os produtos de peixe que vendem.

Sugerimos que digas à SONAE que os supermercados têm a responsabilidade e o dever de te manter informado sobre os produtos alimentares que estão à venda e de ajudar os clientes a escolherem produtos sustentáveis. Diz que tens o direito de fazer uma compra responsável de peixe e que gostarias de poder fazê-lo nestes supermercados.

O telefone das Relações Públicas da Sonae Distribuição é o 229 561 943. Telefona já!

Abraços

Beatriz, Evandro, Osvaldo e toda a Greenpeace.

(a pedido da Greenpeace)



Bancarrota...

terça-feira, setembro 23, 2008

There' s a lot of death in a barrel of oil

Por um preço mais justo: transparência e maior concorrência

A DECO incita todos os consumidores a realizarem uma Jornada Nacional de Protesto, no próximo dia 27, Sábado, pedindo-lhes que não abasteçam os seus veículos durante todo o dia.

“ O petróleo Brent, de referência em Portugal, abriu hoje em queda acentuada no mercado de futuros de Londres “, Fonte: Lusa, 16 de Setembro de 2008.

“ Os preços do petróleo têm estado a cair nos mercados internacionais “, Fonte: Lusa, 19 de Setembro de 2008.

Estranhamente, estas afirmações não têm sido sentidas pelos consumidores portugueses.

Sempre que ocorre um aumento do preço do petróleo nos mercados internacionais, as petrolíferas respondem com um imediato aumento do preço dos combustíveis. Mas num cenário de descida, aquelas mantêm discricionariamente os preços.

O mercado nacional dos combustíveis é dominado por três empresas, numa verdadeira situação de oligopólio, praticando preços praticamente idênticos, entre si, demonstrativos da falta de concorrência neste mercado.

Os consumidores não encontram explicações sérias e rigorosas sobre a formação dos preços.

Neste contexto, a DECO, dando voz à crescente indignação demonstrada pelas largas centenas de reclamações/denúncias que tem recebido, incita todos os consumidores a realizarem uma Jornada Nacional de Protesto, no próximo dia 27, Sábado, pedindo-lhes que não abasteçam os seus veículos durante todo o dia.

Através deste Protesto, a DECO, em representação dos consumidores, reivindica que:

  • As empresas petrolíferas façam repercutir no preço de venda ao público dos combustíveis as reais variações dos preços das matérias-primas, adoptando assim uma política de transparência de preços face aos consumidores.
  • A Autoridade da Concorrência exerça com eficácia as suas competências de fiscalização e supervisão deste mercado, vigiando em permanência a evolução dos preços e reprimindo eventuais práticas restritivas da concorrência, por parte das empresas petrolíferas.
  • O Governo crie uma estrutura específica de regulação deste sector, com capacidades efectivas de intervenção e introduza medidas adequadas ao combate ao oligopólio fomentando o aparecimento de novos operadores no mercado.

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS: ASSIM NÃO!

SÁBADO 27: NÃO SE ESQUEÇA, NÃO ABASTEÇA!

http://www.deco.proteste.pt/dinheiro/por-um-preco-mais-justo-transparencia-e-maior-concorrencia-s539021.htm



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...