quinta-feira, Setembro 23, 2010

Uma questão de venenos

Aparentemente este título e artigo pode à primeira vista parecer um pouco mórbido, mas a intenção não é essa…

Alguém preocupado com a nossa saúde mandou retirar a naftalina e seus derivados do mercado.

Também desapareceram de circulação o tradicional “pó das batatas” colocado sobre estas pelos agricultores depois de arrancadas.

Desapareceram igualmente do mercado de produtos agrícolas, uma boa parte de químicos utilizados na agricultura. Para aqueles, que vivem no campo ou se interessam um pouco pela agricultura sabem perfeitamente que alguns químicos são essenciais como adubos, fertilizantes (que ajudam a melhorar as características químicas e físicas de um solo), conservantes e remédios (utilizados para combater pragas naturais).

Muitos agricultores sabem que sem o recurso a alguns produtos químicos, o ano agrícola poderá estar perdido, assim como as colheitas.

Uma boa série de produtos utilizados pelos agricultores e por algumas donas de casa zelosas desapareceram do mercado e não há substitutos à altura, o que fazer? -pergunta nesta altura muito boa gente...

“As minhas batatas este ano estão cheias de traça e até ao inverno apodrecem.” – É uma frase recorrente por estes lados.

Já não existe pó para curar e conservar as batatas durante o ano e alguns venenos que eram espalhados para os ratos pura e simplesmente desapareceram.

Há quem se questione se já não estamos entregues à bicharada, pois muitos dos predadores naturais - para aqueles que defendem a agricultura biológica - tais como cobras, morcegos, sapos, rãs e pássaros estão a desaparecer inexplicavelmente dos campos.

Enquanto isso, as donas de casa desesperam com as traças, na cozinha e nos quartos, pois os produtos feitos à base de naftalina desapareceram pura e simplesmente das prateleiras dos supermercados. Muitas delas já não sabem o que hão-de fazer para manter os roupeiros, as roupas e os alimentos longe das traças…

Em face do mau ano agrícola e com as abelhas responsáveis pela polinização das plantas, há já quem se questione se não advirá nenhuma grande fome, a nível global, que levará à morte, milhões de seres humanos.

8 comentários:

Anónimo disse...

Mas tu não entendeste que esse veneno de que sentes falta é justamente o responsável pelo desaparecimento dos predadores naturais? Naftalina é uma coisa que tem até cheiro de limpinha, mas é um veneno lento, insidioso e potente para o ser humano, assim como o pó (BHC)das batatas. Ainda bem que pelo menos alguns desses horrores tecnológicos atrasados que temos estão a desaparecer (se bem que são logo substituídos por coisa parecida ou pior). A reversão do quadro passa pela compreensão da natureza e de seus métodos - daí podemos desenvolver uma tecnologia realmente útil e saudável.
Abraços.

Mário Nunes disse...

Esses venenos já existem há muito tempo, sendo a naftalina usada desde longa data.
Mantenho a pergunta no ar.
O que utilizas contra as traças nas batatas?
Elas vão apodrecer...
E o que vais comer?
Batatas podres, lixo ou traças?
A escolha é tua...
E o que fazes para manter a despensa segura longe de traças que também gostam de cereais?
E o que vais usar no teu guarda-fato?
Estou a ver que vais ficar com a tua roupa esburacada...
As soluções tardam...
E este foi um mau ano agrícola, também deves saber disso.
Por outro lado se não tiveres como conservar as batas elas vão se estragar todas, deixemo-nos de moralismos e de produtos limpinhos porque muitas vezes temos que ser práticos.
Quero ainda deixar outra pergunta no ar, quantos de vocês pegaram numa enxada este ano?
Então preparem-se para regressar ao campo nos próximos tempos...
Estarão preparados...
Ou estão aí a rir às bandeiras despregadas?
Veremos quem terá motivos para rir daqui por um ano.

Max disse...

Caro Anónimo,
o problema não é retirar venenos, mas como vão ser substituídos.

A naftalina? A minha avó sempre utilizou naftalina e não morreu por causa disso.

Wikipedia (versão italiana, traduzida):

"A exposição excessiva provoca a destruição dos glóbulos vermelhos e produz sintomas de náusea, vomito, diarreia, passagem de sangue para a urina. Além disso é um suspeito cancerígeno de categoria 3, «substancias suspeitas de possíveis efeitos cancerígenos no homem, embora as informações disponíveis sejam insuficientes para uma avaliação satisfatória»".

Assim, ficamos no campo do "parece que..", "pode ser que...".
Claro, se uma pessoa começa a engolir naftalina então sim, podemos ter náusea, vomito, etc. Mas aqui deixamos o campo dos venenos para entrar no âmbito da psiquiatria.

E, caro Anónimo, uma pergunta: estas substancias serão substituídas, ou achamos mesmo que mercados como estes possam ficar não explorados?

Então quem acabará com o ganhar?

Deixo duas possibilidades:
- pequenos produtores locais (os mesmos que agora são obrigados a fechar)
- multinacionais tipo Monsanto, a mesma com os ordens da qual a União Europeia re-introduziu os Organismos Geneticamente Modificados? (curioso: proibimos a naftalina porque "suspeita" de ser cancerígena e permitimos a entrada de alimentos cujos efeito a longo prazo são desconhecidos)

Cada um pode escolher a resposta que julga ser mais simpática e ficar feliz com os nossos políticos que, ainda uma vez, pensaram exclusivamente na nossa saúde e não nas ordens de quem verdadeiramente gere o mundo.

Max

Mário Nunes disse...

Max, a questão é muito séria.
Houve um mau ano agrícola e ninguém fala disso.
As batatas que colhi estavam todas cheias de traça.
E vão apodrecer...
Com agricultores mais experientes passou-se o mesmo.
Podes adivinhar o que ai vem?
Imagino que sim a batata vai-se estragar toda.
E não há no mercado substitutos à altura.

»k« disse...

Para traças, a cânfora é tão eficiente quanto a naftalina e menos tóxica, mas não sei sobre seu uso em batatas.
Talvez compartilhar a plantação das batatas com plantas que naturamente espantam a traça, como o anis, tomilho e a salvia possam ajudar.

Sálvia
Normalmente é mais utilizada pelos italianos que não a dispensam nos pães, molhos e carnes. Os Romanos acreditavam que este tempero era mensageiro de sorte e saúde.
Partes Usadas: folhas. Boa para temperar molhos, sopas, omeletes, patês e carnes.
Tratos Culturais: Gosta de luminosidade, é perene (seca no inverno e rebrota no verão). Deve ser replantada após três ou quatro anos.
Dica: Sachês de folhas secas de sálvia são ótimos para perfumar armários e afastar traças. Uma particularidade dessa planta quanto ao cultivo é que ela prefere solos mais pobres em matéria orgânica. Por isso, utilize apenas o húmus de minhoca a cada 90 dias e tome muito cuidado com as regas. A sálvia detesta encharcamento.

Tomilho
Foi muito usado como incenso nos templos da Grécia Antiga, além de servir como amuleto para os cavaleiros que saíam para as Cruzadas.
Partes Usadas: folhas e flores. Boa para temperar carnes, frangos e refogados.
Tratos Culturais: O Tomilho gosta de luminosidade e é perene (seca no inverno e rebrota no verão).
Dica: Sachês feitos com as folhas e flores repelem traças.

Repelentes naturais

Os repelentes naturais vem ganhando popularidade com as sucessivas notícias sobre os perigos dos repelentes quimicos exemplo de repelentes naturais que podem facilitar a nossa vida sem necessidade de repelentes quimicos .

Abaixo alguns exemplo praticos de repelentes naturais :

ALHO: Eficiente como repelente de pragas do tomate.

ALECRIM: Afasta a borboleta-da-couve e a mosca-da-cenoura

CHEIRO-DE-MULATA: O aroma forte repele insetos voadores.

HORTELÃ: O cheiro repele lepidópteros, como a borboleta-da-couve, formigas e ratos

SÁLVIA: Repele a mariposa do repolho.

COENTRO: Controla pulgões e ácaros.

GERÂNIO: Repelente natural de insetos

MANJERICÃO: Repelente de moscas e mosquitos.

ANIS: Repelente de traças.

LOSNA: Afasta animais de sua horta

Mellory.M.Martins e Raul.W. P. Mendes



Também, quem sabe há aqui, algo que encontrei no google :
http://www.abbabatatabrasileira.com.br/revista18_010.htm

Que possa ser útil!

Prova Final disse...

Boas Mário,

Realmente, apesar de ninguém falar disso, a questão é séria e o objectivo é claro, principalmente em questão de agricultura, eles querem acabar com os pequenos produtores e passar o poder para as grandes multinacionais, disso não há duvida.

Andei a informar-me com os agricultores da zona, portanto aqui vai uma dica para a batata:

Para substituir aquele pó branco, deitar folhas de eucalipto por cima das batatas,.. dizem os agricultores que funciona bem e é mais saudável.

Mas claro, isto é apenas um detalhe minúsculo comparado com as intenções deles...

Monsanto e outras grandes empresas apoiam plenamente a nova lei em que o governo dos EUA quer impedir as culturas locais, agricultura biológica, quintais e etc....

Convido-te a ver este vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=TEr9EeXe4I0&feature=player_embedded

astroquack disse...

O K tem razão! Os químicos são de evitar, claro, nada melhor que produtos naturais. Senão como faziam antigamente antes de haver essa merda química?

Mário Nunes disse...

Astro claro que os químicos são de evitar, mas a naftalina e a cânfora sempre existiram, até mesmo para proteger a roupa e esses dois venenos são usados desde tempos imemoriais.
Onde eu quero chegar Astro é que há muitas coisas a desaparecer de circulação ultimamente, parece que anda alguém muito preocupado com a nossa saúde.
Preocupado demais.
Agora onde eu quero chegar é que há cada vez menos pessoas a cultivar a terra.
Este foi um mau ano agrícola, e não foi só em Portugal.
Agora ninguém fala nisso.
Na Rússia ardeu mais de 1/3 dos cereais cultivados.
Não se perspectivando tempos nada fáceis. Avinhando-se a fome e a ruptura do stoque de alimentos, só um cego não vê isso.
São muitas más noticias de enfiada.
Provavelmente os tempos que se avizinham não serão de prosperidade para os agricultores e para a classe média, a nível nacional e global.
Sou um urbano no entanto não deixo as terras que são minhas cheias de silvas. Sou um agricultor de fim de semana, contudo creio que deveremos estar aptos a fazer o que quer que seja para sobrevivermos, porque o saber não ocupa lugar.
Quanto às minhas batatas e as da região estas vinham cheias de traça, há produtos que são eficazes há outros que nem por isso. Os agricultores tradicionais utilizam métodos há muito arreigados e com sucesso, duvidando dalgumas práticas da agricultura dita biológica.
Para mim há um meio termo, nem tanto ao mar nem tanto à terra.
Também coloquei os ramos de eucalipto.
Mas duvido da sua eficácia.
As batatas de supermercado nada tem a ver com aquelas que cultivamos que são mais suculentas.
Provavelmente se quisermos sobreviver vamos ter de nos adaptar e voltar a semear a terra.
Porque a saída para esta crise está no trabalho e na produtividade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...