domingo, maio 06, 2007

O Falcão já não está nos Quiosques!


Falcão n.º 1, 1ª Série, publicado em 18.12.1958

O Falcão começou a ser publicado em 18.12.1958, tendo terminado a sua «vida» em 2003, 3 séries de existência, a primeira série foi constituída por 82 números, a segunda por 1286 números e a terceira e última por 25 números.

Kalar, o caçador

Ao longo de 45 anos, pelas páginas do Falcão passaram os seguintes heroís da BD: Arizona Jim, Major Alvega, Billy the Kid, Buffalo Bill, Cisco the Kid, David Krockett, Dick Turpin, Enne 3, Jet Ace Logan, Kalar, Sandor, Oliver, Ogan, Robin dos Bosques, Rick Random, Tex, Zanna e muitos outros, ao longo de 64 páginas aos quadradinhos, sempre a preto e branco, primeiro semanalmente, depois quinzenalmente e por último mensalmente.

A acção desenrolava-se no Quénia, em África


Major Alvega, da banda desenhada, a uma série televisiva...

A Batalha de Inglaterra, o céu como limite... Spitfires em acção contra a Luftwaffe.


Ogan, o Vikingue

Aventuras inéditas todas as semanas faziam sonhar milhares de adolescentes, que viajavam pelos sete mares, atravessavam pradarias, percorriam os céus e os campos de combate da II Guerra Mundial, mergulhando por último, no espaço sideral…


Sandor pôs a ferro e fogo as Antilhas e as Caraíbas e era o terror da marinha mercante espanhola...


Robin dos Bosques, não havia outro como ele, a roubar aos ricos, para dar aos pobres...

O formato era em 130 por 180.

Ao longo dos 45 anos de existência, o Falcão começou por custar 3$50, em 1958 e quando deixou a banca dos quiosques custava 5 €.


Rick Random, o Herói do Espaço Sideral

Sempre editado pela Agência Portuguesa de Revistas, Lda e na fase final pela Electroliber, Lda.

Actualmente, desapareceram dos escaparates, os populares livros de quadradinhos. Interroga-mo-nos porque motivo, hoje, os mais novos lêem cada vez menos (em Portugal)?



Há quem privilegie as histórias cor-de-rosa de uma certa imprensa ou um bom escândalo, dalguns jornais. Quanto mais sórdido for o título, para os editores melhor…

Até mesmo, quem devia de ter o direito de informar com isenção e objectividade pela-se por uma boa história de faca e alguidar…

É caso para dizer será que a magia e a criatividade doutros tempos desapareceram?

Texto: Mário Nunes

Ver Mais BD em

http://www.bdportugal.info/Comics/Col

6 comentários:

paulo.liber disse...

Tenho uma colec�o do Falc�o com mais de 500 exemplares

marginalia disse...

esta revista, as criações eram portuguesas ou de varios paises?

Mário Nunes disse...

As criações eram de autores portugueses e de autores estrangeiros.

Anónimo disse...

Lembro-me de um Falcao, de aventura no espaço, Rick Random ou Jet-Ace Logan, em que um elemento da tripulação tinha um tradutor, que era um caixa, nas costas, e que traduzia automaticamente milhares de linguas de toda a galaxia, em tempo real, ou seja, falava e da caixa saia a voz traduzida na lingua desse planeta. Sabe qual é o nº deste falcão e o herói? Obrigado.

L.O.L. disse...

Que saudades disto.

Gizmo disse...

Olá a todos os fãs do Falcão, iniciei no blog Tralhas Varias (http://tralhasvarias.blogspot.com/2012/05/o-falcao-todos-os-numeros.html), um projecto para trazer de volta à memória todas as revistas (se possível) em formato digital.

Se por acaso tiverem algumas revistas do Falcão e puderem contribuir com os vossos scans, por favor visitem o blog e entrem em contacto comigo!

Gd abco a todos!
Gizmo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...