quarta-feira, Agosto 26, 2009

Meca e o Ramadão

O Ramadão, também escrito Ramadan (em árabe رَمَضَان) é o nono mês do calendário islâmico. É o mês durante o qual os muçulmanos praticam o seu jejum ritual (saum, صَوْم), no fundo o quarto dos cinco pilares do Islão (arkan al-Islam). Este ano, o Ramadão teve início, a 22 de Agosto de 2009.

Mas, em geral, o que é o Ramadão e o que fazem os muçulmanos durante este período importante da sua senda religiosa?


O que é o Ramadão?

A palavra Ramadão encontra-se relacionada com a palavra árabe ramida, “ser ardente”, possivelmente pelo facto do Islão ter celebrado este jejum pela primeira vez no período mais quente do ano. Uma vez que o calendário islâmico é lunar, o Ramadão não é celebrado todos os anos na mesma data, podendo passar por todas as estações do ano.


O Ramadão é um mês sagrado, período de renovação da fé, da prática mais intensa da caridade, e vivência profunda da fraternidade e dos valores da vida familiar. Neste período pede-se ao crente maior proximidade dos valores sagrados, leitura mais assídua do Alcorão, frequência à mesquita, correcção pessoal e auto-domínio.


O jejum

O jejum é observado durante todo o mês, do alvorecer ao pôr-do-sol. O jejum aplica-se também ao fumo e às relações sexuais. O crente deve não só abster-se destas coisas, mas também não pensar nelas. Durante o Ramadão, é comum a frequência mais assídua à mesquita. Além das cinco orações diárias (salat), durante este mês sagrado recita-se uma oração especial chamada Taraweeh (oração nocturna).


O jejum é obrigatório a todos os muçulmanos que chegam à puberdade. A primeira vez em que um jovem é autorizado a jejuar pelos pais constitui um momento importante na sua vida e uma marca simbólica de entrada na vida adulta. Há várias justificativas válidas para não jejuar: enfermidade, gravidez, lactante, menstruação, um idoso ou uma doença incurável. Caso o jejuante coma, beba, fume, ou tenha relações sexuais durante o período do jejum que é da alvorada ao por-do-sol, o seu jejum será anulado. Caso este venha a quebrar inadequadamente seu jejum é obrigatório ao crente jejuar durante 60 dias seguidos ou alimentar 60 pessoas pobres.

As refeições durante o Ramadão são o Su-Hoor e o Iftar.


O Su-Hoor é antes da alvorada, uma pequena refeição que substitui o café da manhã (pequeno-almoço) habitual. O Iftar é ao término de cada dia, o jejum é finalizado com uma oração e uma refeição especial tomada em comum, chamada iftar (árabe: إفطار). O iftar é o momento para reunir os membros da família e os seus amigos numa celebração de fé e de alegria. Após esta refeição, é prática social sair com a família para visitar amigos e familiares.
Actualmente, com a ampliação do diálogo inter-religioso, algumas pessoas de outras religiões são convidadas a partilhar este momento de convívio e é cada vez mais frequente que cristãos ofereçam e celebrem um iftar para os seus amigos muçulmanos.


Os feriados do Ramadão

Laylat al Kadr

Laylat al Kadr ("noite do decreto") é celebrado na noite do dia 26 para o 27 do Ramadão, data em que se comemora a noite em que Profeta Maomé recebeu a primeira revelação do Alcorão. Muitos muçulmanos passam esta noite a rezar, acreditando que os pedidos feitos durante estas horas serão atendidos por Deus. Considerada a noite mais importante para o Islão.


Id al Fitr

Id al Fitr - Eid ul-Fitr (Árabe: عيد الفطر) - ("o banquete do término do jejum"), no encerramento do mês do Ramadão, no primeiro dia do mês de Shawwal, é um feriado celebrado durante três dias. Banquetes são servidos, presentes são trocados, roupas novas são vestidas. Amigos e familiares rezam em congregação e fazem banquetes. Em muitas cidades islâmicas grandes festividades são realizadas para celebrar o ‘Id al Fitr. Está prescrito nesta festa a prática da Zakat al fitr, doação de esmolas da quebra do jejum.


Meca

Situada num vale árido do Hedjaz (Arábia Saudita), entalado entre as montanhas, Meca encarna para todos os muçulmanos, a «Mãe das Cidades».

Não a mostram os mapas antigos como o centro do mundo?


Meca é a cidade natal do profeta Maomé. Para todos os muçulmanos do Mundo ela é a cidade mais sagrada do planeta. Segundo o Alcorão, escritura do Islamismo, o devoto deve cumprir os cinco pilares: o testemunho da fé ( shahada ); orar cinco vezes ao dia em direcção a Meca ( salat ); jejuar no ramadão, um mês por ano; praticar a caridade; e peregrinar até a Meca, mesmo que através de procuração escrita, caso não tenha recursos. A peregrinação a Meca é chamada Hajj.


Em Meca existe uma grande mesquita que abriga em seu interior a Caaba ( Cubo ). A Caaba é coberta por um manto negro que contém várias inscrições bordadas em ouro. Dentro da Caaba está a rocha sagrada que segundo a tradição caiu do céu e foi ofertada a Abraão. A rocha que era branca então ficou negra ao absorver os pecados do homem. O devoto muçulmano deve dar 7 voltas ao redor da Caaba e depois beijar a pedra sagrada. Os peregrinos também atiram pedras, 49 no total, em três pilares que representam o demónio. Todos os peregrinos vestem o mesmo traje simples, composto de dois pedaços de tecido branco sem costura, um amarrado na cintura e outro colocado sobre o ombro. Essa tradição representa a igualdade dos fiéis aos olhos de Alá.


Juntamente com o Judaísmo e o Cristianismo, a religião praticada por Maomé, o Islamismo, forma a tríade de credos monoteístas que partem directa ou indirectamente da Bíblia.


O termo Islão significa submissão a Deus e um muçulmano é literalmente aquele que se entrega apenas a Deus. A sua franca expansão no Mundo, especialmente em África e na Ásia, deve-se em grande parte à facilidade com que absorveu cultos locais e os dirigiu no sentido de dar uma maior amplitude a uma visão monoteísta.


A mensagem do Islão caracteriza-se pela sua grande simplicidade e contundência.

«Não há outro Deus senão Alá, e Maomé é o seu Profeta.»



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...