quinta-feira, Maio 17, 2012

O Mar, de Pablo Neruda


Um ser único, nem sangue.
Uma só caricia, morte ou rosa.
Vem o mar e junta as nossas vidas
e sozinho investe e reparte-se e canta
na noite no dia no homem na criatura.
A essência; fogo e frio; movimento.

Pablo Neruda

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...