quinta-feira, outubro 13, 2011

Clarabóia, de José Saramago



O romance que José Saramago recusou publicar
A acção do romance localiza-se em Lisboa em meados do século XX. Num prédio existente numa zona popular não identificada de Lisboa vivem seis famílias: um sapateiro com a respectiva mulher e um caixeiro-viajante casado com uma galega e o respectivo filho - nos dois apartamentos do rés-do-chão; um empregado da tipografia de um jornal e a respectiva mulher e uma "mulher por conta" no 1º andar; uma família de quatro mulheres (duas irmãs e as duas filhas de uma delas) e, em frente, no 2º andar, um empregado de escritório a mulher e a respectiva filha no início da idade adulta.

O romance começa com uma conversa matinal entre o sapateiro do rés-do-chão, Silvestre, e a mulher, Mariana, sobre se lhes seria conveniente e útil alugar um quarto que têm livre para daí obter algum rendimento. A conversa decorre, o dia vai nascendo, a vida no prédio recomeça e o romance avança revelando ao leitor as vidas daquelas seis famílias da pequena burguesia lisboeta: os seus dramas pessoais e familiares, a estreiteza das suas vidas, as suas frustrações e pequenas misérias, materiais e morais.
O quarto do sapateiro acaba alugado a Abel Nogueira, personagem para o qual Saramago transpõe o seu debate - debate que 30 anos depois viria a ser o tema central do romance O Ano da Morte de Ricardo Reis - com Fernando Pessoa: Podemos manter-nos alheios ao mundo que nos rodeia? Não teremos o dever de intervir no mundo porque somos dele parte integrante?
José Saramago é uma figura especialmente amada em Espanha, pelo que não admira ter recebido algum destaque na imprensa do país vizinho a publicação iminente de um novo romance do escritor português. O site do jornal ABC destaca em título, que Saramago recusou publicar em vida Clarabóia, título do romance que estará disponível no próximo dia 17, cerca de 60 anos depois de ter sido escrito.
O escritor tinha cumprido 30 anos quando decidiu entregar o manuscrito de Clarabóia a uma editora que nunca respondeu. Ou melhor respondeu mais de 40 anos depois, mas nessa altura, Saramago pensava que já não fazia sentido.

2 comentários:

Milu Duarte disse...

Eu estive procurando o livro nas livrarias brasileiras e não encontrei: só na Leitura eu achei em formato digital, mas quero o livro impresso. Você sabe onde eu o possa encontrar, sem ser na editora?

Mário Nunes disse...

Provavelmente o livro ainda não estará disponível nas livrarias no Brasil, Milu. Contudo deixo-lhe o site da Wook (Porto Editora, onde poderá encomendar o mesmo.
http://www.wook.pt/ficha/claraboia/a/id/11257668
E boa leitura.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...